O tempo fecha para Lula nos tribunais superiores

O julgamento não era daqueles que produzem manchetes. Mas, ao avaliar o caso do deputado catarinense João Rodrigues, o ministro Alexandre de Moraes votou a favor da execução provisória da pena. Ou seja: Moraes se mostrou favorável à prisão após condenação em segunda instância. “Nosso esquema de Justiça é que as provas só podem ser analisadas por primeira e segunda instâncias”, explicou. “Recurso sem efeitos suspensivos não podem congelar o Judiciário.” Se não é possível reavaliar as…


Continue lendo no Canal Meio.