Se ceder a servidores, governo pode perder mais votos na reforma da Previdência

O governo continua com o velho problema da falta de voto para aprovar a reforma da Previdência. Nesse contexto, em reunião ontem com ministros, o presidente Michel Temer avaliava novas concessões que poderiam ser feitas.

Temer estava propenso a abrir mão da regra que limitaria o pagamento da pensão por morte a dois salários mínimos quando esse benefício fosse acumulado com a aposentadoria. A ideia era simplesmente acabar com essa exigência.

Na área política do governo, há também quem queira atender ao pleito de juízes e magistrados para admitir uma regra de transição destinada a servidores públicos que entraram na carreira até 2003. O problema de atender a esse lobby é tirar da reforma o discurso de quebra de privilégios.

Restaria apenas como ponto forte a fixação da idade mínima de aposentadoria de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens. Ou seja, a reforma basicamente seria destinada

Continue lendo no Blog do Kennedy.