Protesto contra Lula na cidade natal de Sergio Moro tem baixa adesão

O anúncio de lançamento de um “comitê em defesa da democracia e por eleições livres com participação de Lula” na Câmara Municipal de Maringá neste sábado (13) colocou o antipetista Movimento Brasil Livre (MBL) em pé-de-guerra.

O estopim da encrenca foi um vídeo da senadora paranaense Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, chamando para o ato, com apoio do senador Roberto Requião.

Militantes do MBL começaram a conclamar manifestação contrária ao ato, recusando-se a aceitar o direito de manifestação dos adversários.

O MBL chegou a ameaçar invadir o Legislativo maringaense para impedir o funcionamento do comitê pró-Lula na cidade em que nasceu o juiz Sérgio Moro, mas acabou dissuadido pelos órgãos de segurança que ponderaram com o movimento que era direito dos cidadãos maringaenses manifestarem-se contra ou a favor de quem quisessem.

Sem ter como impedir evento dos adversários políticos em recinto fechado para criação de um comitê, o MBL

Continue lendo no Eduardo Guimarães.