Presidente Itamar e o desprezo pelos aduladores

Imagem rara do presidente Itamar: cercado por assessores. Foto Orlando Brito

Itamar Franco desembarca do automóvel presidencial nos jardins do Palácio Planalto às oito da manhã, em ponto. 1992.

Quem conhecia Itamar Franco de outras épocas sabia, e todos os jornalistas que cobríamos a Presidência da República também: o novo presidente, o que entrou no lugar de Fernando Collor assim que este sofreu o impeachment, era inteiramente avesso às formalidades. Doutor Itamar detestava, por exemplo, aquilo que mais se encontra nos palácios e é originalmente chamado no idioma francês de entourage. Em bom português, o pessoal que gravita em torno de Suas Excelências.

Desde quando foi prefeito de Juiz de Fora – em 1967, e quando desembarcou em Brasília eleito senador por Minas, em 1974 – não gostava da tal entourage.

Itamar Irritava-se toda vez que via-se cercado por assessores. Demonstrava desconforto e dava um jeito de afastar-se da cena.

Continue lendo no Os Divergentes.