Carlos Cleto: Cristiane Brasil praticou improbidade administrativa ao utilizar servidor comissionado como seu motorista particular

Carlos Eduardo Reis Cleto, especial para o Viomundo

O caso da Cristiane Brasil (PTB-RJ), candidata a ministra do Trabalho, é ainda mais sujo do que parece.

O problema não é só a Lei Trabalhista ter sido desrespeitada, mas também a improbidade administrativa envolvida.

O trabalhador Fernando Fernandes Dias alega ter trabalhado para a Cristiane Brasil em dois períodos: 1º de janeiro de 2009 a 23 de novembro de 2011, como assessor DAS-08, da Prefeitura do Rio de Janeiro; e 29 de novembro de 2011 e 2 dezembro de 2014, como motorista particular, quando ela passou a arcar com o pagamento dele.

A própria Cristiane Brasil na contestação que apresentou na ação trabalhista afirmou:

“Reitere-se que o RECLAMANTE nunca laborou como empregado doméstico na função de motorista a favor da RECLAMADA, mas tão somente, em decorrência de sua função pública junto a Câmara dos Vereadores do RJ e da Prefeitura do RJ, transportava

Continue lendo no Vi o Mundo.