A médica Raquel e a repórter Gabriela: uma belíssima lição de vida

“A gente ajuda uma pessoa até com um sorriso. Dá para ajudar de inúmeras formas. Não adianta, por exemplo, fazer uma caridade, mas ser grossa com as pessoas ao redor. É o que vem do coração, encontrar no dia a dia maneiras de ajudar o outro. Porque, diretamente, a gente ajuda é a gente mesmo. Você vai para uma missão humanitária querendo salvar os outros, mas quem se salva é você”.

Assim termina a reportagem “Adiei o casamento e abri mão de 3 empregos para tratar de doentes na África” sobre a trajetória da médica sem fronteiras Raquel Bandeira publicada neste domingo pela repórter Gabriela Fujita, no UOL.

A frase de Raquel resume uma belíssima lição de vida, um raro encontro entre a riqueza da personagem e a qualidade da matéria.

Passei esta cinzenta manhã de janeiro lendo jornal no papel e na tela do computador em busca de um

Continue lendo no Balaio do Kotscho.