Eleições 2018: Stédile mobiliza MST em defesa de Lula e Exército entra em alerta

Há duas corridas eleitorais paralelas hoje em disputa no Brasil.

Uma se dá no plano político-partidário em que a base aliada do governo Michel Temer ainda busca encontrar um candidato de centro viável capaz de enfrentar Lula e Bolsonaro nas urnas em outubro.

Outra corre no Judiciário, no mercado e na grande mídia para impedir Lula de ser candidato, e já tem data e local marcado para a grande decisão: 24 de janeiro, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre.

À medida em que se aproxima o dia do julgamento do recurso do ex-presidente contra a sua condenação a 9 anos e seis meses de prisão em primeira instância, novos atores entram em cena, tornando o desfecho absolutamente imprevisível.

Primeiro, o prefeito tucano de Porto Alegre, Nelson Marchesan Jr. solicitou ao presidente Temer o envio de tropas do Exército e da Força Nacional para impedir manifestações em

Continue lendo no Balaio do Kotscho.