A voz das bases, por Lydia Medeiros, O Globo

Lydia Medeiros, O Globo

Os prefeitos começam o ano eleitoral dispostos a cobrar maior ajuda do governo federal.

Segundo a Confederação Nacional dos Municípios, a maior parte das 5.570 prefeituras (3.794) já cortou despesas de custeio e mais da metade (2.582) reduziu o quadro de pessoal para não atrasar salários.

São medidas impopulares e que podem levar à perda da qualidade dos serviços. Mas a conta não fecha.

Fortes cabos eleitorais, os prefeitos sabem o caminho: vão aumentar a pressão sobre os deputados por mais verbas.


Continue lendo no Blog do Noblat.