Repórter também é leitor

Os cadernos de jornalismo e Comunicação, uma inovação introduzida em maio de 1965 no Jornal do Brasil por Alberto Dines, significaram uma busca de aprimoramento técnico dos jornalistas. A publicação foi lançada quando ainda estava em curso a reforma do Jornal do Brasil, que teve início no final dos anos 1950 e se estendeu ao longo dos anos 1960, influenciou outros jornais e deixou marcas no jornalismo brasileiro.

Devemos lembrar que o Jornal do Brasil foi criado em 1891 e que em 1930, como solução para problemas financeiros, tornou-se um “boletim de anúncios”, deixando de lado os temas políticos e a cobertura das artes e literatura. O jornal perdeu então o caráter noticioso e voltou-se quase exclusivamente para os classificados. Por manter a primeira página inteiramente ocupada por anúncios, recebeu nessa época o apelido pejorativo de “jornal das cozinheiras”. Mas não se omitiu totalmente diante dos principais acontecimentos políticos e


Continue lendo no Observatório da Imprensa.