Cúpula da Justiça ignora prazo de Cármen Lúcia

Ministra Cármen Lúcia – Foto Orlando Brito

Nada menos que 30 dos 90 tribunais federais e estaduais de todo país ignoraram o prazo dado pela presidente do Conselho Nacional de Justiça, ministra Cármen Lúcia, para que abrissem suas caixas-pretas salariais.

De acordo com os dados divulgados pelo site do CNJ, a fila dos que ignoraram a cobrança de Cármen Lúcia é puxada pelo Superior Tribunal de Justiça, a mais alta Corte entre as que deveriam informar os salários de seus juízes.

Também não enviaram as planilhas, com os valores relativos a subsídios e “eventuais verbas especiais de qualquer natureza”, o Superior Tribunal Militar, o Conselho da Justiça Federal, os Tribunais Regionais Federais da 1.a e 4.a regiões e cinco tribunais estaduais de Justiça, entre outros.

Desde agosto, Cármen Lúcia vem cobrando as informações. Os tribunais não enviam os dados ou os remetem de maneira tal que não é possível decifrar

Continue lendo no Os Divergentes.