AO CONDENAR LULA EM 2ª INSTÂNCIA, JUSTIÇA INTERFERIRÁ NO CURSO DA HISTÓRIA E SERÁ IMPLACAAVELMENTE JULGADA POR ELA, NO FUTURO.

(Jornal do Brasil) – Não se sabe se, sendo candidato em 2018, Lula seria eleito pela população.  Assim como não se sabe se, assumindo mais uma vez a Presidência da República, ele teria forças para resistir a um novo golpe – inspirado de fora – semelhante ao que derrubou Dilma Roussef.  As intenções de voto que o colocam em primeiro lugar na preferência do eleitorado, da ordem de 35%,

Continue lendo no Mauro Santayana.