Agora é tarde para PSDB romper com Temer, como defende FHC

Em artigo publicado ontem no jornal “O Globo”, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso defendeu que o PSDB deixe o governo Temer em dezembro, sob pena de insucesso eleitoral em 2018.

O primeiro efeito do artigo é reforçar a possibilidade de eleição do senador Tasso Jereissati, do Ceará, para o comando do PSDB no início do mês que vem, quando haverá eleição interna. Tasso está nessa função interinamente, porque o presidente de fato é o senador Aécio Neves.

O artigo também reforça a possibilidade de rompimento, porque FHC é o tucano mais importante. A palavra dele tem peso. Não é o primeiro, mas é mais um golpe duro de FHC contra o presidente Michel Temer.

No entanto, a essa altura do campeonato, se houver o afastamento, parece improvável que resulte em ganho eleitoral para os tucanos. O PSDB foi avalista do impeachment da então presidente Dilma Rousseff. Sem o apoio dos tucanos,

Continue lendo no Blog do Kennedy.