O incrível Huck e o desespero da direita

Andreza Matais, na Coluna do Estadão, diz que  o  DEM passou João Doria para segundo plano e se voltou para Luciano Huck.

A última pesquisa Datafolha jogou água na animação do DEM com a candidatura do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), ao Planalto. O partido se reuniu várias vezes com o tucano e abriu suas portas para ele, mas o discurso mudou. Se Doria continuar derretendo, mesmo que ingresse na sigla, demistas dizem que não vão entrar num “projeto kamicaze” de comprar briga com o PSDB, um aliado histórico, e com Geraldo Alckmin para lançar o prefeito ao Planalto.

Só não se pode jurar de pés juntos que é factóide, claro, porque a direita brasileira está á beira de um ataque de nervos com o fato de que, com as tentativas de destruição de Lula, a única coisa que brotou foi um apavorante Jair Bolsonaro.

Partem, portanto, até


Continue lendo no Tijolaço.