A democracia consiste em separar a lei de seu próprio humor

Vários comentaristas caminham na mesma linha – evidente, aliás – que ontem cedo, se traçou aqui ao escrever-se “Mudem o nome da Corte, pois Supremo não é”.

Infelizmente, porém, foram raros os que o fizeram com o mesmo ponto de vista: o que de que a corte não errou por se fazer autocrática e dispensar a oitiva do Parlamento em casos de – na prática, seja por prisão ou por afastamento do mandato.

Não, o erro foi o Supremo ter abdicado do poder que a Constituição lhe dá, o de mandar prender em flagrante o deputado ou senador apanhado em cometimento de  crime grave.

Como fez com Delcídio do Amaral e não fez com Aécio Neves.

E o crime de Aécio era tão grave e flagrante que levou à prisão preventiva de seus quatro cúmplices e agentes e, sobre isso, só o que se ouviu foi a pífia menção


Continue lendo no Tijolaço.