Advogado viajou e STF adia decisão sobre prisão de Aécio

Rodrigo Janot já deixou a Procuradoria-Geral da República e Raquel Dodge foi empossada pelo presidente Michel Temer na manhã desta segunda-feira, mas o STF ainda não julgou os três pedidos de prisão feitos contra o senador Aécio Neves, presidente licenciado do PSDB.

Nem vai julgar esta semana, como estava previsto na pauta. A pedido da defesa de Aécio, a decisão foi adiada desta terça-feira para a próxima, dia 26 de setembro.

Detalhe mais curioso deste adiamento foi o motivo alegado: um dos advogados do senador,  Alberto Zacharias Toron, viajou para Portugal e não poderia estar presente à sessão do STF.

O ministro Marco Aurélio Mello, relator do caso em que Aécio é acusado de receber R$ 2 milhões em propinas da JBS, aceitou a justificava de Toron: a viagem ao exterior já estava marcada “há tempos”.

Quem não se conforma com esta situação, é um dos carregadores das malas de

Continue lendo no Balaio do Kotscho.